quarta-feira, 16 de agosto de 2017

naperon de juta # colorido

quarta-feira, 16 de agosto de 2017
Gente bonita, começo por vos agradecer do fundo do coração todas as reacções e visitas ao meu naperon de juta. Tão importante que é receber o vosso feedback e tão bom que é sentir que a satisfação é recíproca. E uma vez mais, tive o enorme prazer de ser surpreendida pela pela Annemarie que destacou no sábado passado o meu naperon de juta na sua link party Link Your Stuff. Muito obrigada Annemarie, 
muito obrigada a todos! Estas coisas fazem-me muito feliz.
:: :: ::
Ainda à espera das férias à séria que começam daqui a escassos dias, mal o pai R termine os seus compromissos de final de época, eu e os miúdos fomos para o parque passar três dias na rulote. Como sempre, foi muito bom, soube a pouco e ficámos cheios de vontade de voltar, o que com certeza acontecerá já no final desta semana. Yay! O parque de campismo reúne as condições perfeitas para me dedicar aos projectos do Lado B, às minhas leituras e até à organização de ideias futuras para o Lado A. No parque o tempo rende, os dias ficam maiores e a nossa energia está sempre no nível positivo. Levei comigo A casa-comboio, da Raquel Ochoa. Romances históricos não são bem o tipo de leitura que mais me atrai, mas já há algum tempo que comprei o livro com a curiosidade de conhecer a escrita que foi prémio literário revelação há uns anos, e sim, estou a gostar, já passei as páginas centrais completamente mergulhada na história. No saco também foram projectos fazbemaosolhos por terminar. Levei aquilo que há-de ser a camisola deste Verão, mas esqueci-me de levar os novelos de cor creme, portanto, nada feito. Levei o saco de trapilho para lhe fazer o forro interior, e fiz. Falta agora colocar o fecho (e vamos lá ver como é que corre esta parte...) e também faltam as alças, que têm de ser de cabedal verdadeiro e não daquelas que se vendem por aí em plástico a imitar cabedal, não gosto nada. Dentro do saco também foram uns rolos de juta colorida que comprei na Tiger na semana passada, numa daquelas idas em família ao Marshopping. Enquanto eles foram às lojas das cenas tecnológicas, eu fui regalar os meus olhinhos a ver coisas bonitas e encontrei os rolos, peguei-lhes e já não os larguei.
.
Quando os vi imaginei o naperon de juta mas em versão colorida. Foi o que fiz, segui o gráfico embora tenha feito pequenas adaptações, como acrescentar mais voltas e alguns pontos, visto esta juta ser mais fina do que a anterior. Além das funções decorativas que abaixo vos mostro, e outras que exemplifiquei na publicação anterior, esta peça pode também ser usada  como base para tachos e com certeza terá mais utilidades que de momento não me vieram à cabeça. Malta, o Natal não tarda anda por aí e esta é uma peça que pode fazer a alegria de algumas pessoas, é um bom mimo para presentear alguém.
Gosto muito do resultado do conjunto das cores. Decidi usar todas as que estavam disponíveis e acho que não correu nada mal.


 .
O vaso das espadas está cheio de rebentos. Não sou só eu que gosto muito deste spot, elas (as plantas e as gatas) também se dão muito bem por lá.

 .
Embora desproporcionado no tamanho (para ficar nesta parede teria de ser maior, acho) quis experimentar ver o meu naperon/mandála a funcionar como wallhanging e pendurei-o só para ver o efeito. Viva o improviso! Gostei do que vi e acho que já sei qual é a parede onde vai ficar muito bem, mas essa mostrarei noutra altura.


E porque estive na rulote e ao ar livre durante os últimos dias a pensar em pequenas transformações para a tornar ainda mais confortável, voltei a ver o livro que está na foto de cima, é este. De vez em quando viro-lhe as páginas à procura de alguma inspiração e não é difícil de a conseguir. Da primeira à última página são só boas ideias para desfrutarmos com tarecos e têxteis que temos por casa. Recriemos os nossos cantinhos apetecíveis, sem custos, sem extravagâncias, apenas com o que temos de melhor e nos faz sentir tão bem - a nossa imaginação.
Continuem a aproveitar um Verão cheio dias felizes!



Até já
Ana Lado B





sábado, 5 de agosto de 2017

naperon de juta # doily jute

sábado, 5 de agosto de 2017
 Aqui está, o meu naperon de juta.
.

por curiosidade, neste vaso estão a nascer: um limoeiro, uma tangerineira e uma macieira! O pai R entretem-se a semear caroços e fica meses à espera que germinem. Conseguiu!

só para ficarem com uma ideia do naperon a servir de sousplat, como vêem tem mesmo de ter mais voltas, assim é pequenito.

.
A juta, que quando transformada em tecido conhecemos por serapilheira, é uma fibra vegetal de grande resistência, perfeita para determinado tipo de projectos. É um material muito versátil, dá para inúmeras peças, com espessuras também diferentes, sejam em crochet, tricot, tecelagem ou macramé. Por exemplo, imaginem que este mesmo padrão que desenhei para o naperon de juta é reproduzido várias vezes, acrescentando mais duas ou três voltas em cada peça, ficam com uns sousplat fantásticos. Agora imaginem que continuavam a crochetar umas dezenas de voltas, ficam com um tapete magnífico. Também podem fazer uma mandála para decorar a vossa parede. Como vêem, as possibilidades são várias. Na net encontram-se excelentes propostas, deixo-vos aqui uma para um saco em juta, e a boa notícia é que é um DIY! Entrem pela fonte indicada na legenda da imagem.
fonte: realhousemoms.com
.
Acho este saco muito bonito. Eu gosto assim, linhas direitas.
Para o meu naperon não recorri a nenhum desenho já existente, foi surgindo durante a execução e nasceu algo muito simples. Para vos aguçar a vontade de também crochetarem o vosso, deixo-vos com o meu humilde gráfico... têm de me desculpar as imperfeições, ando a aprender a trabalhar com o programa e existem funções que ainda não descobri como aplicar. Mas para primeiro gráfico em formato redondo até que não está nada mal, podia ser pior...

.
De cima para baixo: (coluna esquerda) 2 pontos altos rematados juntos; 2 pontos altos crochetados no mesmo ponto da carreira anterior; 3 pontos altos crochetados e rematados juntos; anel ajustável; ponto de corrente; ponto alto; (coluna direita) meio ponto alto; ponto baixo; ponto baixíssimo; 3 pontos de corrente; ponto duplo (2 laçadas).

Acima têm a legenda do gráfico. Gostava de a ter mais pequena, mas não consegui. O original está in english, tal como o programa, mas a seguir têm a tradução. Para reproduzirem um naperon de juta igual ao meu, precisam de uma agulha de crochet nr.5 e de uma pequena bobina de juta, eu comprei desta, não sei se ainda está disponível na Ovelha Negra, mas com certeza conseguirão encontrar, hoje em dia é um material muito procurado. Ah, falta dizer que o naperon ficou com 27 cm de diâmetro.
Espero que se divirtam a reproduzi-lo.
Volto em breve com mais um projecto pronto, daqueles que vos falei aqui.
Bom fim-de-semana!


Até já
Ana Lado B


Faz bem aos olhos | Crochet - Crafts - Lifestyle © 2014