domingo, 26 de abril de 2015

Cá em casa gostamos... continuação

domingo, 26 de abril de 2015
Existe um armário na minha cozinha que quando se abrem as portas é este o panorama! e isto não é tudo... tenho mais umas dezenas de revistas que estou a coleccionar e a empilhar até lhes arranjar um espaço... 

Gosto muito de cozinhar. Estou sempre a experimentar novos paladares, dá-me gozo... e vontade de comer eheheh. Bom, às vezes também acontece não me apetecer ir para a cozinha. Tem dias, uns sim, uns não. Mas folhear os meus livros e marcar as receitas que quero experimentar é uma rotina, não nego. Depois é (sempre) assim, a primeira vez que experimento determinada receita sou capaz de a seguir tal e qual mas acreditem que acontece uma vez só. É verdade, quem come da minha comida sabe que nunca repito uma receita, quando volto a fazê-la ou suprimo ou acrescento ingredientes. Não por nada, não porque tenha achado que o resultado não foi bom, nada disso, é só porque gosto de experimentar, de inventar. Digamos que a minha pilha de livros e revistas são a fonte de inspiração para as minhas alquimias culinárias ;)

Há uns dias mostrei-vos uns acompanhamentos que adoro. Hoje mostro-vos o que acompanharam. Existem milhentas formas de fazer carne assada, que aliás é um dos meus pratos favoritos. Pensando bem gosto de tudo o que seja assado no forno, sejam carnes, peixes, legumes, tubérculos... tudo! Pois... e nunca faço um assado igual... este adaptei ligeiramente de uma Magazine, revista distribuída por uma grande superfície onde faço quase sempre as minhas compras por ser muito perto de casa.


Cá em casa usei oito costeletas do lombo. Primeiro, fazemos uma marinada para as costeletas, assim: alhos esmagados, folhas de louro, pés de tomilho fresco, regamos com um fio de azeite, vinho branco e temperamos com sal e pimenta. Atenção, quando falo em pimenta nunca mas nunca me refiro àquela coisa que se vende em frascos ou pacotes a que chamam pimenta branca refinada... bah!!! A pimenta de que falo é aquela moída no momento e por norma uso grãos da preta por ser extremamente apaladada, aromática e acho que fica bem em todos os cozinhados. Portanto, primeiro marinar as costeletas e deixá-las repousar durante umas horas. A seguir ralamos queijo cheddar, ou outro que tenhamos à mão, queijo da ilha, queijo mozzarella, queijo parmesão, chévre, etc. Muito sinceramente, e para quem goste, acho que queijo azul também deve ficar muito bem. Seguindo. Acrescentamos ao queijo pedacinhos de noz, se houver em casa, se não podem usar só o queijo. Retiramos as costeletas da marinada e reservamos esta. Recheamos as costeletas com o queijo ralado, como se fizéssemos uma sandes com duas costeletas e dispomo-las num tabuleiro refractário. Regamos as costeletas com a marinada e forno! Delicious ;)
Pronto, uma vez mais um manjar simples e fácil. Experimentem!


Já agora, aproveito o post para vos dizer que estou a avançar com mais um dos trabalhos de crochet que tinha em mãos. Lembram-se deste post? Estou a caminho de um resultado final. Ainda falta algum tempo mas vai andando. Será uma experiência, algo que nunca fiz. Querem dar mais alguns palpites sobre o que será?

Termino por aqui, desejando-vos uma semana fantástica, mesmo com a chuva que não nos deixa...
Até já
Ana Lado B

2 comentários:

  1. Por acaso não tenho o hábito de adquirir livros de cozinha e pela simples razão...de que não sou fã de passar horas cozinhando!
    ...mas tenho os livros mais antigos da cozinha portuguesa!
    Acho que...sou demasiado rápida e simples e a cozinha mais elaborada...não é a do meu jeito!
    Quanto ao crochet...gosto do esquema e das cores!
    Boa semana e bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho dois antigos mas esses sim, tudo o que lá está é uma complicação... são na maioria receitas muito demoradas, pouco saudáveis e até muito dispendiosas. Eu gosto muito de cozinhar mas não passo horas na cozinha nem nada do que faço é elaborado. São pratos muito simples, gosto sim de explorar paladares diferentes. Por exemplo, a comida (de inspiração) asiática, que adoro e faço muitas vezes, prepara-se em minutos. Todos os dias chego a casa e só tenho cerca de 30 minutos para fazer o jantar e consigo fazer comida saudável e saborosa em tão pouco tempo. Nem sempre é mau estar na cozinha ;) mas claro que sim, concordo que é preciso, antes de mais, ter a curiosidade e o gosto de cozinhar.
      E o novo trabalho em crochet já está a crescer!
      beijinhos *

      Eliminar

Faz bem aos olhos | Crochet - Crafts - Lifestyle © 2014