terça-feira, 31 de maio de 2016

O meu consolo

terça-feira, 31 de maio de 2016
Há poucas semanas estive em Almada, a minha terra. Foi lá que vivi até aos trinta e um anos, depois a vontade de mudança e uma paixão, daquelas que batem forte, trouxeram-me para terras do norte há já quase dezassete anos... uma imensidão de tempo. Gosto disto por aqui mas morro de saudades de quem lá ficou, morro de saudades de ter de atravessar o rio todos os dias, morro de saudades da luz de Lisboa, que é única. Mas estive lá e matei as saudades dos meus pais, da minha filha, dos meus grandes amigos e da vista do rio, tão perfeita. Tirei umas fotos à pressinha, sem tempo sequer para esperar pelo melhor momento, tinha de apanhar o barco e correr para o comboio. Não faz mal, o que registei é perfeito, porque olho-as e sinto-me lá. O cheiro do rio... tão único, sinto-o aqui. Durante anos da minha vida apanhei o cacilheiro e o ferry boat. O meu preferido era o ferry boat porque podia viajar fora da cabine de passageiros, olhar o rio, sentir a brisa, sentir o cheiro da maresia e às vezes sentir um frio gelado que me trespassava, mas eu adorava aquilo, era rotina de todos os dias e nunca me cansei. Fazia-me tão bem, era o meu consolo, o meu momento de equilíbrio, fosse para ganhar energia pela manhã, fosse para recarregar as energias ao final do dia.
 .
Quando eu era criança o farol de Cacilhas era verde. Foi retirado, penso que quando fizeram a primeira grande obra ao cais, há décadas, depois nunca mais voltou, até que recentemente Cacilhas acordou com o seu farol, agora vermelho. Questionei o porquê da mudança da cor, explicaram-me que se prende com um tipo de obrigação, qualquer coisa prevista na lei... enfim. Se era verde, verde ficava, acho. Mas isso também não é o mais importante, o que é mesmo bom é chegar a Cacilhas e voltar a ver o Farol. Dizem que os cacilheiros também vão deixar de ser laranja e passar a ser azuis... ok, pronto, gostam de mudar as cores, tudo bem.
.
Fez-me bem este passeio. A partir de agora obrigo-me a ir lá mais vezes, pois não há melhor forma de afastar o sentimento da saudade, que nem sempre nos consola, como estar com o que tanta falta nos faz.


Até já
Ana Lado B


7 comentários:

  1. Olha, olha, duas Lisboetas que se mudaram para Norte ;)
    Penso agora que nunca fui a Cacilhas...tenho de resolver isso!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aaahh também és moura!? Olha que Cacilhas tem uns sítios para patuscar bem interessantes, agora a rua principal é só tasquinhos bons de um lado e doutro, maravilha ;) tens mesmo de resolver o assunto! :D bjs*

      Eliminar
  2. Todos os dia não sei porque eu não sou mesmo uma pessoa de rotinas mas lá que é maravilhoso atravessar o Tejo é! E concordo contigo Lisboa tem outra luz onde quer que estejamos Lisboa traz sempre saudades. Um beijinho Ana

    ResponderEliminar
  3. Todos os dia não sei porque eu não sou mesmo uma pessoa de rotinas mas lá que é maravilhoso atravessar o Tejo é! E concordo contigo Lisboa tem outra luz onde quer que estejamos Lisboa traz sempre saudades. Um beijinho Ana

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pela visita! :)
    Lisboa e o rio também fazem os meus encantos por isso compreendo perfeitamente a saudade da luz, do rio, e da vista da cidade! :)

    ResponderEliminar

Faz bem aos olhos | Crochet - Crafts - Lifestyle © 2014